Minha lista de blogs

sexta-feira, novembro 30, 2018

A forma da água (The shape of water)




Assisti esse filme ontem, disponível na Net.
Depois de vê o filme mandei mensagem para Hugo (www.cinema-filmeseseriados.blogspot.com) que entende tudo de cinema porque precisava esclarecer uma coisa.
A personagem da Sally Hawkins tem alguma coisa(cicatriz de cirurgia? guelras?) no pescoço.
Minha curiosidade é porque era muda e não parecia surda
O filme esta catalogado como Drama-Suspense.
A trilha sonora é muito bonita.
Aparece cenas de filmes antigos.
E até aparece Carmem Miranda, numa cena de filme que fez por lá


A história se passa na década de 1960 com Estados Unidos vivendo no meio de conflitos políticos e de transformações sociais.
A zeladora muda, mas não surda Eliza Esposito (Sally Hawkins), em um laboratório secreto do governo, se encanta com uma criatura fantástica mantida presa num tanque.
As vezes a criatura fantástica é maltratada no local. 
E a muda Eliza completamente apaixonada pela criatura fantástica (é um homem?), executa um arriscado resgate, com a ajuda do melhor amigo Giles (Robert Jenkins) e da colega de turno Zelda (Octavia Spencer), em uma aventura.

O diretor é o mexicano Guillermo del Toro que tem no seu currículo outros filmes fantasiosos.
Eu gostei do filme embora goste de histórias possíveis.

Liliane
 

21 comentários:

Larissa Santos disse...

Nunca o vi...Parece um filme que nos prende ao ecrã :))

Hoje : Pensamentos libertinos nas ondas do mar
Bjos
Votos de uma óptima Sexta - Feira

Pedrita disse...

eu amo esse diretor e amo esse filme de paixão. vi nos cinemas. poesia pura. eu acho q eram cicatrizes de tentativas de cirurgias. e é nesse machucado q ele transforma ela em peixe. sim, ela era muda, não surda, estou tentando lembrar se o filme fala o q aconteceu q ela ficou muda. lembro vagametne q parece q ela sofreu alguma violência, mas teria q ver de novo. acho q vou ter q ver de novo. eu amo labirinto do fauno dele. o primeiro q vi. o q eu gosto é q ele pega histórias fantasiosas para falar de questões profundas. e um arraso a atriz. bejios, pedrita

Pedrita disse...

achei, eu falo na minha postagem. "Sally Hawkins está maravilhosa como essa mulher sofrida, que veio de um orfanato, que foi mutilada em suas cordas vocais." https://mataharie007.blogspot.com/2018/02/a-forma-da-agua.html

Rejane Tazza disse...

Muito legal e foi uma boa dica de filme! bjs, ótimo fds! chica

Cherry disse...

Gostei muito desse filme :).
Não percebi porque é que achavas que ela devia ser surda em vez de muda.
Beijinhos
Blog: Life of Cherry

Hugo disse...

O filme é muito bom na parte técnica e tem uma ótima atuação de Sally Hawkins, mas a trama é totalmente previsível.

Andréa Santana disse...

Olá, querida Liliane!
Eu assisti no cinema, na telona fica mais emocionante, gostei muito.

Beijinhos, bom fim de semana ♥

Rodrigo Mendes disse...

Olá, conhecendo o seu blog...

A Forma da Água é singelo, encantador, romântico, fantástico. Um filme simples que bebe da fonte dos filmes de monstros e conflitos interessantes na época da Guerra Fria. Del Toro é um mestre em contar histórias sobre fábulas e criaturas. É dele O Labirinto do Fauno, filme que postei em meu blog recentemente.

Acredito que Elisa era também uma criatura das águas. Por isso a misteriosa cicatriz, o fato de ser muda e sua comunicação com a criatura.

As referências cinéfilas, Carmem Miranda, Shirley Temple, enfim, um filme muito querido.

Abraço
Rodrigo
https://cinemarodrigo.blogspot.com/

Fátima Oliveira disse...

Oi Liliane, como vai, tudo bem? estou em casa esses dias, e aproveito pra matar as saudades. ainda não assisti esse filme, me pareceu muito bom, vou tentar assistir. Também vou fazer uma postagem ainda hoje ou amanhã.
Beijos.

Lete disse...

Ouvi falar, mas ainda não vi. Agora fiquei curiosa... :) acho que vou tentar ver!

O meu pensamento viaja disse...

Não vi, Liliane. Não posso opinar.

4 agulhas= a 4 mãos ?
Você é muito engraçada. As meias são tricotadas com 4 agulhas, mas eu não sei como.
Beijo

Rodrigo Mendes disse...

Olá de novo Liliane. Obrigado pelo Feedback no meu blog.

Então, respondendo a sua dúvida sobre Elisa.
Uma pessoa Muda é aquela que não faz uso do seu aparelho fonador (conjunto de órgãos e estruturas que produzem os sons de nossa fala) para fala ou qualquer outra manifestação vocal. O ponto é que a “Mudez" não está relacionada com a "surdez". São minoria os surdos que também são Mudos. No filme, fica a critério do espectador entender que ela era, também, uma criatura da água. As cicatrizes "se transformam" em guelras na cena final. O fato dela se comunicar com a criatura e ter uma atração com ela, enfim, além de romântico e fantástico é um filme muito simbólico. O diretor nao deu detalhes explicativos da causa. Tudo é muito subjetivo e não é a intenção do filme explicar o passado da personagem Elisa. Mas, é isso. Um mudo não precisa ser surdo-mudo e um surdo não precisa ser mudo.

Beijo.

Isa Sá disse...

Nunca tinha ouvido falar do filme.
Bom fim de semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

.lívia. disse...

esse filme é incrivel, eu vi no cinema logo antes de ganhar o oscar, cheio de lições de vida de uma forma mt mágica que é a cara do Del Toro

www.tofucolorido.com.br
www.facebook.com/blogtofucolorido

Os olhares da Gracinha! disse...

Vai passar na TV um dia destes e eu vou ver!!!
bj

Ana Freire disse...

Já ouvi falar muito bem, desse filme... mas ainda não o vi!...
Vou ficar atenta... tanto mais que estou vendo pelo comentário da Graça, acima, de que irá passar em breve na TV...
Óptima dica, Liliane!
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

Rodrigo Mendes disse...

Oi...
Numa cena do interrogatório, Zelda diz ao Richard Strickland como a Elisa ficou muda de vido a maus tratos físicos sem maiores detalhes e de que ela viveu a infância em orfanatos, mas o diretor não deu maiores explicações porque não é relevante para a premissa. Fica a critério do espectador fazer sua interpretação de que Elisa tinha as cicatrizes por ser uma "criatura das águas" há muito tempo perdida em terra. Então, no filme, Elisa não nasceu surda, apenas ficou muda e sua interação com o monstro foi natural pelo fato dela encontrar alguém como ela.

Beijos.

Jane Quintela de Carvalho disse...

Oi Liliane... esse filme está gravado na minha TV mas ainda não
tive tempo de assistir... fiquei curiosa agora, quem sabe nesse fim de semana!!!
Beijosss

* o tênis preto não é alto, mas é muito confortável!!!

Luli Ap disse...

Olá Lilianeeee
Gostei bastante do filme, do jeitinho surreal de ser, Guillermo del Toro sendo Guillermo del Toro rsrs
Achei que, por ela própria ter sofrido algum tipo de violência física, talvez até resultando no fato de ter ficado muda, criou uma identificação com a criatura.
Uma espécie de contos de fadas diferente.
E siiiiim eu tb entendi que foi através das cicatrizes no pescoço que a criatura a "ressuscitou"
O bacanudo nas obras do diretor são as inúmeras possibilidades de interpretação e cada pessoa pode preencher o quebra-cabeça com a peça que acha que melhor se encaixa ali.
Bjs Luli
https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

alfacinha disse...

segundo os comentários deve ser um filme fantástico
abraços

Patricia Merella disse...

Acho que tu ganha do meu marido. Eu, tu sabes vejo no máximo 3 filmes por ano. Mas os livros,as vezes leio 3 no mês.bjs