Minha lista de blogs

quinta-feira, julho 12, 2018

Youth in Oregon (Juventude no Oregon)









Tinha gravado e assisti esse bom filme de 2016.
É a história de Raymond (Frank Langella), um homem de cerca de 80 anos com uma grave doença cardíaca e que se recusa a fazer mais uma, ou outra cirurgia.
Ele decide ir para o Estado do Oregon, onde a Eutanásia é legalizada sobre certas condições.
E o encarregado de leva-lo é o genro Brian (Billy Crudup) casado com sua filha Kate (Christina Applegate) que não aceita a ideia.
Durante a viagem, a longa viagem, o genro vai tentando faze-lo enxergar um outro sentido para sua vida e vai tentando faze-lo desistir.
No percurso até Oregon, Ray pede para passar na cidade onde mora seu filho gay Danny (Josh Lucas) e o filho, também se junta a caravana. 
Todos tentam faze-lo desistir da ideia.
Na Clínica ele presencia a eutanásia de um amigo. 
E aí ele tem dúvidas.

Gostei muito do filme e mostra para mim a solidão que existe e sempre vai existir na vida dos idosos.
Não importa a vida que você tenha, haverá essa solidão. 
E é preciso aprender a conviver com ela. Mas é difícil.

Lembrei de uma paciente que tive que vinha para consulta no ambulatório, sempre cercada pelos filhos ou netos e que me pedia: " Doutora eu quero morrer! Não tenho mais pessoas amigas que estejam vivas".
Eu ouvia aquilo e não conseguia entender, como entendo agora.


Acho maravilhoso que nos Estados Unidos, os Estados possam ter suas próprias leis.
Sim, porque o que vale para o sul do brazil por exemplo, pode não servir para o norte desse mesmo brazil. 

Liliane

quarta-feira, julho 11, 2018

Ingá

Quem conhece essa fruta?
O nome dela é Ingá.
E é uma delícia.
Liliane

segunda-feira, julho 09, 2018

Séries Médicas

The Night Shift, a série

Eoin Macken

Ken Leung e Jill Flint
Ontem só quis saber de vê essas séries médicas.
Gosto muito, muito mesmo de ambiente de hospital para trabalhar.
Não como doente, lógico.
E The Night Shift  (Plantão Noturno) acabou na 4a temporada e deixou algumas interrogações.
Não vi todos os episódios  e estou correndo atrás do prejuízo.

                                   xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



The Resident
The Resident é a nova série.
Escrita e dirigida por mulheres.

Quem gosta de Séries Médicas?
Para mim funciona com aprendizado, também.

Liliane

domingo, julho 08, 2018

Vamos rir?







Não gosto de futebol, não entendo de futebol e não assisto futebol.
Aproveito o tempo que o país entra em resseco para ler, vê TV e assistir filmes.
Mas como gostei demais da criatividades das charges, aqui vai minha homenagem aos autores que nem sei quem são.
As imagens recebi pelo WhatsApp.

Liliane

sábado, julho 07, 2018

As coisas simples da vida - Filme





Assistimos ontem esse filme feito no Japão no ano de 2000, tendo como Diretor e roteirista o Edward Yang, falecido em 2007, acho que na Califórnia.
O filme tem um nome em português muito bonito (As coisas simples da vida). Mas o nome original parece ser Yi Yi.
É um filme muito longo, 2h e 53 minutos e as vezes é cansativo, até porque tem o defeito, para mim, da câmera focar num personagem e vc esperar alguns minutos que o personagem fale ou que a câmera mude de posição.
As vezes tive vontade de desisti.
Mas tem uma história interessante e gira em torno de 3 personagens que são bem interessantes, e locações que gosto. 

"NJ Jian mora com sua esposa, seus dois filhos e a sogra já idosa, formando uma típica família de classe média. 
NJ sócio de uma bem-sucedida empresa de computação, mas, se não buscar novos rumos, em breve irá falência. Para tanto, ele busca fazer uma parceria com Ota, um inovador designer de jogos de computação no Japão, que pode dar o novo toque que sua empresa precisa. 
Mas as coisas começam a dar para os Jian quando a integrante mais velha da família sofre um derrame e entra num coma o qual poderá nunca mais acordar. 
Neste meio termo, NJ ainda reencontra Sherry, seu primeiro amor de infância, que reaparece em sua vida, agora casada com um americano" (Comentário do site Adoro Cinema).

Quem aguenta ficar tanto tempo vendo um filme, pode ser agradável.
Achei muito cansativo.
Liliane


quinta-feira, julho 05, 2018

Falta de educação? Sou intolerante

Minhas pernas

Minha Academia

Um supermercado para ilustrar
Sou intolerante com algumas coisas.
E com falta de educação, minha intolerância chega a níveis lá nas alturas..
Quero continuar assim, intolerante.

E minha Academia, a Smart Fit fica dentro do Supermercado Extra.
É bom e é ruim.
Ruim porque quase todo dia quero comprar alguma besteira.
Bom, porque economizo tempo.

Ontem, uma mulher feia e mal educada. 
Era mais feia porque era mal educada, derrubou muitas coisas de uma gôndola.
E saiu sorrindo.
O sair sorrindo, me deu vontade de espanca-la, acredita?
Chamei um funcionário e até ajudei no pouco tempo que ainda tinha.

Liliane


segunda-feira, julho 02, 2018

Maudie, sua vida e sua arte

Esse filme foi indicado pela querida Pedrita, (www.mataharie007.blogspot.com.br) .
É baseada numa história real, a história de Maud Lewis.





A artista Maud Kathleen Dowley era Canadense e desde criança era Portadora de Artrite Reumatóide Juvenil, uma doença deformante e dolorosa.
A doença já é cruel em adulto, imagine num criança.
Sua mãe desde cedo lhe ensinou a fazer pintura aquarelas para cartões natalinos que ela vendia.
E foi fazendo esses cartões e pintando tudo que encontrava pela frente que Maudie chamou atenção dos moradores locais.
Portas, janelas, paredes da pequena casa, eram pintadas.

Com o ator Ethan Hawke

As deformidades causadas pela Artrite Reumatoide
 Não sei se é verdade mas no filme ela é descoberta pela personagem Sandra (Kari Matchett), que tinha uma casa nas imediações da pequena casa onde Maud morava com o marido pescador Everett Lewis, personagem de Ethan Hawke e foi quem lhe fez as primeiras encomendas dos cartões.

Sandra, personagem de Kari Matchett, 
O filme é muito bonito.
As locações são lindas.
As transformações que ela faz na pequena casa de um só cômodo que ela vive com o marido são interessantes..
Mas é muito triste vê a dificuldade com que a personagem se locomove, devido as Deformidades da Artrite.
Morreu aos 67 anos (na vida real)
E Sally Hawkins como ela mesmo
E Sally Hawkins além de boa atriz, é bonita.
Ela está maravilhosa nesse personagem.

Adorei vê o filme.

Liliane