Minha lista de blogs

quinta-feira, abril 11, 2013

Você tem boas lembranças de sua avó?

Vc tem boas lembranças de seus, avós?
Esse foi o assunto do Programa da Fátima Bernardes.
E eu lembrava dessa assunto, fazia algum tempo.
A avó paterna era muito chic, muito frágil e pouco participou da minha vida.
Mas eu até que gostava de cantar com ela.
Ou de ouvi-la falar francês. 
Da querida avó materna, essa da foto abaixo, só lembro de coisas boas.
Ela foi uma avó do jeito que eu acho que precisam ser as avós.
Ativas, vaidosas e que não queiram passar para os netos ou bisnetos, uma época que foi a dela mas que não  é a deles, neto.
Vovó Elvira era assim.
Como trabalhava numa fábrica de tecidos só podia está conosco nos finais de semana.
E eram mágicos aqueles finais de semana.
Aprendi a gostar de pimenta verde ou vermelha, com ela.
Aprendi a ter interesse por costura, com ela.
Aprendi a não desperdiçar comidas, com ela.
Era dela minha frase favorita da semana santa: "jesuscristo encarnou e não empeixou."
Minha querida avó materna.
Mamãe já é bisa da Infanta Beatriz.
E foi uma avó maravilhosa para meus filhos.
No inicio de minha vida profissional, ela foi importantíssima.
Era com ela que deixava meus filhos para "correr de um Hospital para outro", quando eles estavam de férias e eu não.
Imagino que meu filhos tenham boas lembranças.


Mamãe já bisavó.

Liliane




40 comentários:

Flávia Mergulhão disse...

Lembranças muito boas, principalmente do cafuné gostoso...

Maria Célia disse...

Oi Liliane
Obrigada pela visita e comentário deixado no bloguinho.
Olha lembrança das minhas avós- a paterna não conheci, faleceu antes de meu pai se casar; a materna também já falecida, pude conviver com ela até meus 25 anos, mas não posso dizer que tenha tido muitas lembranças boas, ela tinha um gênio muito difícil, afastava os netos ao invés de se aproximar deles.
Beijo.

Maria Alice disse...

Tive sorte! As duas avós pessoas boas. Da materna apesar dela ter ido embora quando eu era criança tenho tanta saudades, tantas lembranças boas que até doi.

✿ chica disse...

Tão bom quando podemos ter boas lembranças delas. De uma, não lembro, quase não convivi e a outra, não foi um relacionamento muito legal! beijos,chica

♥Entre, a casa é minha! por: Monalisa Melo disse...

Com certeza querida, seu filhos tem sim boas lembraças assim como vc tem da sua querida vozinha. Ai que delícia, eu só tenho minha avó paterna que por sinal participou muito da minha vida, hj moramos em cidades diferentes mas sempre que posso vou visitá-la.
Beijinhos Liliane, a Fernanda Reali está fazendo uma BC com tema Avó.
E eu te convido para vir participar do meu primeiro sorteio. Passa no blog depois
Mona...*

O meu pensamento viaja disse...

Que bom ter lembranças dos avós. Infelizmente nao tenho nenhumas, mal as conheci.
Beijo

Ana Pierri disse...

Eu tenho muitas lembranças da minha bisa paterna, com ela passava o dia inteirinho em um quartinho de costura enquanto minha mão trabalhava.Agora eu avó continuo trabalhando, vendo meus netos só em ocasiões especiais pois eles moram em outro Estado.,
Coisas da vida.
bjs.
Ana Pierri

rose japan disse...

Oi Liliane bons tempos esses nao eh!! Ja n tive vo paterna qdo nasci ela ja tinha falecido mas tbm amava minha vozinha materna...alias vc gosta de ler Lili?? Minha tia escreveu no centenario um livro que conta a historia de imigracao dos meus avos se tiver interesse passo o nome do livro ou vc pode baixar pelo net..ok

Qto as florzinhas eu n tenho feito nao ....Mas ja aprendi como se faz fiz uma mas ficou grde, cortei meio grandinho mas ja deu p pegar o jeito Lili...agora ja fiz siim uma caixinha de ovos com elas e ficou bonitinha logo posto p vc ver eu simplesmente amei as cores rosa com verde da um conjunto mto bonito.

Bjinjos rose jp

Adorei ver as fotos de sua familia

Marly disse...

Lili, querida,

É muito bom ter só lembranças boas assim das avós. Eu, infelizmente, não convivi com tanta proximidade com nenhuma das minhas avós, porque uma já era falecida, quando eu nasci e a outra morava em outro estado, rsrs.
Quanto ao pão, o manual estava escrito em inglês e a máquina (bread maker) pode até ser semi-profissional, quem sabe? Mas foi pelo fato de a receita estar em inglês que fui pesquisa-la em inglês. Sei lá, como o manual sumiu, agora até eu estou an dúvida, rsrs.

Um beijo e boa noite.

♥Entre, a casa é minha! por: Monalisa Melo disse...

Liliane querida, obrigada por participar do sorteio, querida, para ser válida a sua participação é preciso seguir o outro blog também. O link é esse:

http://www.mariajoaninhapresentes.blogspot.com.br/

Beijinhos e boa sorte!

Deusa disse...

Oiiiiiiiiiiiiiiiiiiii....

Ainda adoro Beiju,Tapioca ou sei lá como chamam,minha mãe faz vez em quando.
Liliane,minha avo era uma mulher maravilhosa,forte,mãe de 16 filhos,mas só 11 sobreviveram e destes ela cuidou muito bem.Meus avos são amados e lembrados pela minha familia mesmo depois de 20 e poucos anos de terem partido,nossa infância foi toda com ela nas férias.Quando meus pais se separaram fomos morar com ela e cuidamos dela quando estava com Cancêr...Fiquei com ela noites e dias e nunca vou esquece-la.
Sua avo tem toda a dignidade que sua mãe demonstra no olhar,mulheres que nunca deixavam os filhos, inesquecíveis.....beatriz,linda demais...Uma boneca.
Beijinhos
Deusa
vasinhos coloridos

carol guezdan disse...

Que Boas lembranças Lili,eu também tenho as melhores lembranças da minha vozinha materna,ela me criou como uma filha caçula,pois minha mãezinha,veio a falecer quando eu ia a completar quatro anos e idade.
Ainda tenho o privilegio de ter ela com vida,com 101 anos agora.
a minha avó paterna,não guardo lembranças dela não.
Beijinhos querida Lili.

Solange Honorato disse...

Lili, que lembrança linda... achei o máximo a frase da sua avó.rsrsss
Ela era magrinha né? devia se muito elegante.

Você acredita que ainda tenho minhas duas avós? São duas fofas! Preciso visitá-las... Assim como você, também tenho ótimas lembranças. Beijos minha querida.

Amanda Schuler disse...

Assisti um pedaço da conversa hoje pela manhã também..
Confesso a você que minha avó foi um pouco minha segunda mãe também, moro com ela desde que nasci e não sei o que seria de mim sem essa mulher maravilhosa por aqui!
Como pode elas serem tããão importantes, né? *-*
To seguindo.
beijo

M de Maria Ateliê disse...

Oi Liliane,
Tenho muitas!
Só conheci minha avó materna e ela faleceu aos 98 anos.
Olhava muito ela costurar, e o que aprendi foi grande parte com ela.
Ela cozinhava muito também, mas isso não aprendi nada.
Minha avó adorava anjos, e sempre que vejo um me lembro dela.

Um post cheio de boas lembranças e que trouxe outras também!

Eu ainda não desisti dos meus verdinhos. e já fiz algumas artes com palitos também:
http://mdemariaatelie.blogspot.com.br/2012/12/decorando-o-atelie.html


bjs,

Lucinha disse...

Liliane,

Não conheci minha avó paterna. Da minha avó materna tenho as melhores lembranças de minha vida. Foi na fazenda dela que vivi as melhores férias.
Ela faleceu com quase 101 anos.
Foi bom vir aqui e conhecer a sua avó e sua mãezinha.
Um lindo final de semana! Beijos

Jane Quintela de Carvalho disse...

Oi Liliane... as minhas avós serão inesquecíveis... a avó paterna, minha vovó Izaura era cheirosa, falava baixo, fazia tricô e crochê, era calma, uma pele macia e gostosa... a avó materna, D. Lázara foi minha segunda mãe, moramos com ela por um tempo, era enérgica, aprendeu a ler e escrever depois dos 50 anos, não parava um minuto, acho que herdei muitas características das duas... tenho saudades imensas... beijosss!!!

Casa das Bonecas de Pano de Ipiabas disse...

oi minha querida amiga, eu estou tentando, vim te ver e deixar beijinhos foque com Deus Leila

Zizi Santos disse...

Que bom ter recordações da avó que foi bisa e da mãe que é avó do seus filhos.
eu não tive esse prazer.
Zizi

Zizi Santos disse...

de conhecer as minhas avós

Toca do trico e croche disse...

Que homenagem linda para suas vovós...minha amiga !!!
Tenho muito boas recordações das minhas queridas vovós também.
Umas amadinhas... que ficaram pra sempre em meu coração.
Fiquei muito feliz em saber, que você me presenteou com uma flor de crochet ,feita por você a 15 anos...
Não sabia que você fazia crochet !!!
Vou guarda-la com muito
carinho...viu !!!
Li...quero te mandar um mimo...já tenho seu endereço...só me dá uns dias...pois estou sem carro para ir nos correios.
Semana que vem volta tudo ao normal e quero ver se mando pra você...pra Ju e pra Andréia uns presentinhos.

Espero que tenha um ótimo final de semana !

Sonia faria

Ana Maria Braga disse...

Tive uma avó, a Vovozinha que vc. conheceu, que foi muito boa comigo. Não era de muito carinho fisico, mas nos agradava de outras maneiras.
Até hj tenho saudades de muitas comidas que ela fazia. Não conheço bolo pé-de-moleque melhor do que ela fazia. Foi muito importante na minha vida.
Bjs

Adelaide Araçai disse...

cofesso agora que fiquei com vontade de ter uma avó feito a sua. Minhas avós não foram tão presentes. Mas Graças a Deus minha filha tem nas avós um exemplo de vida e a presença marcante como deve ser.

Adorei seu texto

Muita Luz e Paz
Abraços

Maria JoAninha Presentes disse...

Oi Liliane, realmente moramos beeeemmm longe, e eu sempre achei que vc morasse no Rio (não sei pq). Sabe que tenho um primo que mora aí em recife? Querida obrigada por visitar a lojinha. Beijos!

Mira disse...

Olá Paula ,este é um tema que me
enternece ,eu amava a minha avó
paterna,e meu avô também ,fui educada
com eles até aos 9 anos, quando morreu meu avô,todos os dias lembro-me deles ,que SAUDADE, beijos

Lurdes Losquinhos disse...

Liliane 2 dl são 200 gramas.
Espero ter ajudado.
Beijinhos

Veronica Kraemer disse...

Lili querida, que post lindo, cheio de amor! Emocionei com suas lembranças.
Eu tenho uma avó viva, a materna.
Meus avós paternos faleceram quando eu era criança, mas me lembro deles como se fosse hoje. Tem dias que os "vejo" em pessoas parecidas, assim como meu avô paterno, que faleceu quando eu tinha uns 28 anos.
Eles me ensinaram e continuam ensinando muito. São lembranças maravilhosas!
Te desejo um final de smeana abençoado!
Bjos
Vero ♥

lenalima disse...

As vós maternas são as mais cobiçadas!
a minha avó paterna eu quase não via e não aprendi nadinha com ela , já minha nona italiana...que amor, passava as férias todo ano na casa dela, já que morava em outra cidade e adorava, ela me levava na missa, na Praça ver o chafariz, fazia polenta como eu gostava e ainda me deixava raspar as casquinhas crocantes que ficava no fundo da panela de ferro, me deixava colher flores ...dai´a minha paixão em plantar mtas flores...ela como a minha mãe plantavam muitas dálias.
Amei muito a minha nona...sinto até hoje seu cheirinho especial!
bjssss

Ju disse...

Oi, Liliane
Tenho muitas boas recordações das minhas avós. Mais da avó materna, com quem convivi bastante. Sinto muita saudade dela, que se foi na década de 1980... Era uma mulher simples, mas ativa, falante, presente. Era ela quem comprava meus sapatinhos quando criança...
A minha avó paterna era alemã, falava um Português atrapalhado. Convivi pouco, ela se foi quando eu ainda era criança, mas tenho recordações ainda...
Amiga, obrigada pelas visitinhas e comentários carinhosos. Respondendo à sua pergunta, aquela flor da bolsa que fiz não é engomada. Simplesmente recortei as pétalas sobre o tecido dobrado, desvirei, costurei e passei. O algõdão é muito bom, por isso ficou com esse aspecto mais encorpado.
Quanto aos bolos, eu felizmente não preciso me preocupar! Não tenho a mínima tendência para engordar, felizmente! E também não como muito, pois quando é a gente quem faz, parece que o apetite diminui! Risos!
Beijinhos e um ótimo fim de semana.
Ju

luci disse...

Lembranças maravilhosas, aquele carinho completo, aquela atenção total. Aquela comidinha que mais adoramos , ai que saudades.
Menina você esta de parabéns trouxe muitas lembranças
Beijos Iris/Luci

Cuca disse...

Também tenho muitas recordações fantásticas com as minhas avós, tantas!
Em relação a sua pergunta Vaqueiro é uma marca de margarina que há em Portugal, por isso pode substituir por manteiga e um pouquinho de alho! Espero ter ajudado :)

Beijinhos*

Nina disse...

Oi Liliane,
Tenho lembranças da minha avó paterna, meu pai foi filho temporão, por isso quando eu era criança ela já era idosa, o nome dela era Marfisa e eu a chamava de vó chicha (Não sei porque?).
Minha avó materna é viva e super fashion, ela já apareceu no blog da minha mãe e é super querida.
Beijos

M de Maria Ateliê disse...

Oi Liliane,
Aquela ideia com o balde é bem legal mesmo!

bjs,ótimo finde!

Rovênia disse...

Olá,
Primeira visitinha e uma história familiar tão bacana! As duas se parecem, mãe e avó. Com certeza a Beatriz vai ter histórias lindas para contar no futuro! Vó e vô são tudo de bom! Um ótimo fim de semana!

Patricia Merella disse...

Querida ,que lindo post
Das minhas avos materna e paterna só tenho boas lembranças.Meus avôs nem muito,o paterno n conheci e o materno n o amava,abandonou minha avo e isto magou-me muito.A avo paterna como a materna eram mulheres simples e trabalhadeiras,a paterna criava porcos,galinha,pilva seu cafe,tinha uma grande quintal com frutas,a avo materna descente de italiana,mas bem cuidada,mas nada de chiquesa,era hoteleira e depois abriu seu propio hotel,mulher forte e de uma sensibilidade incrivel,amava rosas e jardinagem,herdei dela tudo o que sou,ai que saudades,seu post emocionou-me escrevo e choro...lindo final de semana querida,beijinhos

CamomilaRosaeAlecrim disse...

Menina, a frase dela é perfeita e verdade! E que maravilhoso ter lembranças tão boas! Parabéns por ter esses momentos com ela e guardar tudo no coração e na vida!
Ótimo final de semana em sua casa!
Beijos
CamomilaRosa

Eva disse...

Liliane saudades daqui, amei o post como sempre, adorei o Jesus Cristo encarnou e não empeixou, ehehe, você é linda e humorada, essas vivencias te enriqueceram e guardas com carinho na lembrança, legal Liliane, admiro você! bjos, bom findi.

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Oi amiga Paula. Eu lembrarei sempre, com saudades, de minha avó materna, a paterna não conheci. Foram tempos bons. Um grande beijo, eu e Bolinha te desejamos um ótimo domingo.

Lilasesazuis disse...

Que postagem linda, Liliane...

Não conheci minha avó paterna, mas a materna...ai...quanta saudades...quantas!!!

Minha avó faleceu com 89 anos e já era tataravó, teve 15 filhos e criou 12. Uma mulher admirável.

Eu também aprendi tantas coisas para a minha vida com ela. Morei uma no e meio com ela...e morro de vontade de vê-la novamente.

Morro de felicidade em saber que fui a sua neta preferida!! Ela fazia tudo por mim. Nós nos identificávamos em tudo, em tudo...

Ahhh...o tempo...o tempo...

Achei sua mãezinha bem parecida com a mãe dela.

beijinhos,

Lígia
ღ╮♥⊰✿⊱♥╰ღ╮♥⊰✿⊱♥╭ღ╯

Lucineide Cantinho do Fuxico disse...

Oi Liliane!
tenho ótimas lembranças da minha vó paterna, foi a única que conheci.Com a separação dos meus pais, fui criada por ela dos 6 anos aos 19 (quando me casei). Era uma pessoa maravilhosa! Muito do que sou hoje foi graças á ela.
Beijocas!
Lu!