Minha lista de blogs

sexta-feira, março 06, 2015

Still Alice

Assisti ontem esse filme "Still Alice(Para sempre Alice), no cinema.
Nem sou muito fã de Julianne Moore.
Acho que em todos os filmes que já vi, com essa atriz, as expressões faciais são as mesmas.
Mas a história é incrível. E assustadora.


Still Alice é a história da Dra. Alice Howland (Julianne Moore) uma renomada professora de linguística que deve ter em torno dos 50 anos e que aos poucos, começa a esquecer certas palavras e a se perder pelas ruas de Manhattan, durante suas corridas matinais. 
As cenas dela perdidas em Manhattan, durante as corridas que costuma fazer, são bem significativa, eu acho.
Ela de imediato procura um neurologista e depois de vários exames ela é diagnosticada com Alzheimer. 
No filme ela diz preferir está com um câncer.
E é verdade. 
A Doença de Alzheimer, acredito, que seja mil vezes pior.
Kate Bosworth
Kate Bosworth, é a filha Anna.
Alec Baldwin
Alec Baldwin é o marido.
Adoro Alec Baldwin. 
Kristen Stewart faz a filha solteira que trabalha com teatro e que é uma preocupação constante para a mãe(Alice).
A linda Kate Bosworth (Anna)faz o papel da filha casada e grávida. 
Nos exames preventivos realizados é essa filha que apresenta probabilidade de desenvolver a doença.

O terrível do filme é a sensação permanente que a gente sente, ou que eu senti, quando lembrava dos esquecimentos.
Liliane

17 comentários:

Pedrita disse...

eu amo a julianne moore. nem li em detalhes pq quero ver. beijos, pedrita

Montana disse...

Não gosto desse género de filmes. Fico sempre angustiada.
Bjs. Bom fim de semana.

O Que Tem na Nossa Estante disse...

Não consigo saber o que é pior Alzheimer ou câncer. Eu tenho um medo voraz de escrever, em parte escrevo diário por isso e o blog também, mas já vi pessoas queridas definharem com câncer... O filme deve ser uma experiencia perturbadora em algum grau eu fiquei entre a vontade de vê e um certo receio da angustia que essas histórias me trazem.

Jaci
O que tem na nossa estante

Jane Quintela de Carvalho disse...

Oi Liliane, eu quero assistir este filme, mesmo sabendo que vou ficar angustiada, a Julianne Moore é excelente atriz... beijosss!!!

Lilasesazuis Gata disse...

Liiane, faz tempo que não assisto um filminho!!

Estou por fora das novidades!

Sei bem o que é o alzheimer...paizinho partiu com essa doença.

Sim...perder a identidade é terrível.

Mas, sabe, amiga, antes do alzheimer, paizinho tinha muitas dores no corpo...muitas doenças juntas...coluna, rim, coração, pressão, etc.

O alzheimer apagou até as dores...nunca mais ele reclamou de qualquer dorzinha que fosse...eu sempre perguntava...onde dói? - queria qualidade de vida para ele...e a resposta era sempre a mesma....não dói nada!!! Ele comia bem, com vontade e não sentia mais dores!!!

Não sei se é regra acontecer isso com quem tem essa doença!

Querida, tenha um ótimo final de semana,

beijinhos,

Lígia e =^.^=

Veronica Kraemer disse...

Lili querida, eu não quero ver este filme...
Deve ser muito triste e angustiante. Mas é uma doença que está perto de nós. Triste...
Bjos
Vero

Mona Lisa disse...

Um filme que me perturbou e emocionou, pois tenho a minha mãe num lar com Alzheimer.

Para mim as duas doenças são horríveis.

Beijinhos.

Fátima Oliveira disse...

Oi Liliane!
Conheço algumas pessoas que tem essa doença, é muito triste, eu não quero assistir o filme, ando evitando me angustiar depois que minha mãe começou a fazer hemodiálise, é muito estressante ir três vezes por semana naquela clinica.
Beijos!

Nal Pontes disse...

Oi Liliane, vim aqui para te desejar uma noite maravilhosa e um dia de domingo maravilhoso, abençoado e feliz. Parabéns pelo nosso dia. Bjs

Nal Pontes disse...

Oi Liliane, vim aqui para te desejar uma noite maravilhosa e um dia de domingo maravilhoso, abençoado e feliz. Parabéns pelo nosso dia. Bjs

Debora disse...

Tenho muita vontade de ver este filme.
Estou atendendo uma família em que o pai tem a doença. Já os atendo há dois ou três anos. Acabei acompanhando a evolução, sem querer.
No começo ele parecia muito bem... me reconhecia, conversava normalmente. Aos poucos fui percebendo que a conversa dele era mais limitada. Perguntava e respondia as coisas do modo que ele sabia que as pessoas esperavam que ele fizesse. Era como se tivesse treinado para aquilo.
Depois passou a se perder no apartamento, quando me via não lembrava de quem eu era nem que eu tinha autorização para estar lá. Era como se encontrasse uma intrusa mexendo nas coisas dele. Não reconhecia as coisas mais simples. Lavou as mãos com a água de um filtro de barro que ficava na mesa da cozinha, em cima do café da tarde que a esposa dele tinha servido.
Esta semana fui chamada de novo... para reformar o banheiro e deixá-lo acessível, já que ele está bem debilitado fisicamente. Não reconhece mais ninguém, nem a esposa. Ela morre de medo que ele caia de uma das janelas. É mais difícil que cuidar de uma criança. Um final muito triste para qualquer pessoa.

Nal Pontes disse...

Oi,Liliane, vi seu comentário lá no meu cantinho. rsrsrs vc é uma mulher virtuosa, pois pois é amada e querida por muita gente, não só pelo que faz, no cuidado e carinho com os animais, os seus queridos, e o carinho que vc posta, é prendada, organizada, gosta de presentear, o carinho com a Clarice e sua filha. Sei não viu,aprendi amar vc do seu jeitinho. Feliz dia da mulher para nós. Bjs

O meu pensamento viaja disse...

Liliane, gosto imenso de Juliane Moore. A temática do filme é assustadora. Ainda não assisti, mas não quero perder.
Como vai ser o seu domingo?
Eu vou caminhar junto ao meu amado rio Douro e a tarde será em casa, com muitos papeis para organizar.
Beijinhos

Crocheteando...momentos! disse...

Vou tentar ver o filme...que parece interessante!
Liliane...enquanto puder vou jogar catas com o meu pai...chama-se "bisca"!!!
Bj amigo

Zilnete Antunes disse...

Oi Liliane!!
Passei aqui para te desejar(meio atrasada)um feliz dia da mulher!!!
Triste o filme, não é? Quero ver!!!
Tenha uma linda semana!!!
Bjos!!!

Patricia Merella disse...

Olá Liliane
Tenho este filme para ver,n lir os detalhes,depois comento,um otima semana para você,beijinhos

Lucinha disse...

Liliane,

Pela sua descrição, eu já considero um ótimo filme.
Não sei qual a pior doença, mas o Alzheimer é uma doença triste. Acompanhei o caso do esposo de uma amiga, e não foi fácil para os dois.
Quanto ao câncer, chega dar uma dor no peito só de pensar. Terrível.
Gostei muito da sugestão do filme.
Beijos