Minha lista de blogs

domingo, maio 21, 2006

Coisas e coisas

Na 5ª feira, , 18 de maio, fui avisada do falecimento de minha tia-madrinha. Uma tia que passou a minha vida de criança e de adolescente, me incentivando nas minhas "habilidades artísticas". Com ela fui incentivada a cantar e a dançar. Cantei demais, dancei demais. Tinha uma carmem miranda dentro de mim com certesa ou na certesa dela. Minha tinha Helbinha faleceu das complicações decorrente de Alzheimer. O pior ou o melhor, nem sei, foi que dei o diagnóstico assim que fui chamada para atende-la. Não sou neurologista nem trabalho com esses pacientes mas, como clínica, preciso estar atenta para o inicio da doença. E Helbinha morreu. Fui ao velório. É um horror! Gente que vc nem sabe porque está ali. Gente que sai do velório vizinho para olhar o do outro. Velório tornou-se um encontro de parentes que não se veem faz muito tempo.
Não quis olhar Helbinha. E, para mim, vai ficar sempre aquela imagem de Helbinha ainda inteira, alegre, sorrindo. Mesmo quando ainda sorria, um sorriso vazio a imagem vai ser melhor.

Por falar em mortes lembro da morte da minha avó paterna. Essa avó era chatinha, chatinha, na minha avaliação de criança e de adolescente. Já conheci "doente". Todo dia ela dizia que ia morrer. E as crianças da casa já não acreditava. Uma vez, e me arrependo, diante dos gritos dela, que estava morrendo, dei uma caneta e papel e pedi para ela deixar um testamento. Nem sei porque fiz aquilo. Me arrependo de ter feito aquilo. Mas foi bom porque ela me empurrou e esqueceu que estava morrendo. Bom, quando na verdade ela faleceu, minha preocupação era aproximidade do carnaval. Nos não queríamos deixar de brincar o carnaval. E foi muito difícil driblar os tios e tias para não perdermos as prévias carnavalescas. Parece que fazia parte do ritual passar um bom tempo sem sorrir, sem dançar, sem cantar. Não sei como atravessei isso. Não lembro. Tenho impressão que os tios e tias abriram mão do nosso luto. Não do deles.

Ontem fui na festa de aniversário de meu amigo Carlos. Tudo lindo e delicioso. As 400 gramas que perdi porque deixei de beber água mineral sem gás, certamente foram recuperadas. Haja malhação!!!!!! nos próximos dias. Aliás deixar de malhar nunca fez parte de meus planos.

Meus amigos Francy e Carlos estão fazendo um passeio por "um caminho portugues para Santiago de Compostela". Foi assim que ela disse no blog www.cenasdocotidiano.net. Acho que se tivesse muito dinheiro nunca escolheria esse passeio. O meu passeio preferido sempre será em shoppings. Olhar as belas vitrines me faz muito bem.
Liliane

15 comentários:

Jôka P. disse...

Mortes, perdas e ganhos.
Amigos, chegadas e partidas.
Estou aqui, e sou amigo.
Jamanta não morreu.

Rubo Jünger Medina disse...

Liliane, vou começar pelo fim. Esse passeio ao Santiago de Compostela, tem gente que vai sem nem ao mesmo saber que Santiago era o apóstolo Tiago, irmão de Cristo, e Compostela significa campo de estrela (bonito, né) em latim. Não sei se é o caso de seus amigos. O que sei é que há uma certa crendice e sueprestições em torno disto que só Deus pra ter piedade...

Rubo Jünger Medina disse...

Vamos ao velório? Quer dizer, vamos falar do velório? Concordo com as suas colocações. Velório hoje significa ponto de encontro, local de contar piadas e abraçar velhos amigos dizendo: "Nossa, é vc! Qto tempo! Vc tá mudad(o)(a)..." Isto qdo é em local público. Qdo é em casas (coisa rara hoje em dia), rola até uma bebidinha... rs.
Quanto a ver a face do defunto, também prefiro não ver, pra conservar na memória a pessoa quando era em vida. Pra dizer a verdade, nunca olhei um defunto. Nem imagino como seja. Isto só pra preservar a lembrança...
Beijos, querida. Tenha uma boa semana.

Mutatis Mutante disse...

O meu seria visitar lojas e mais lojas de discos.

Bjs!

Zana disse...

Liliane, preciso contar como é um velório aqui!
Qualquer dia desses eu conto.
Sobre o Caminho de Santiago, estive lá pertinho e passei por duas cidades que fazem parte dele, Astorga e León. Amei!! Se pudesse, faria o caminho todo! Para indicar o caminho há conchas grudadas no chão :) Muito interessante!

bjs e boa semana

Anônimo disse...

Liliane, querida. Cheguei ontem de viagem a serviço e estou numa crise de coluna. Não dormi direito por conta disso.Depois mando noticias. Estou em casa, hj. Bjs. Ana Maria Amaral

Andréa N. disse...

Sinto muito pela sua tia-madrinha.

Eu acho que tambem nao iria numa peregrinacao, mas tambem nao sou louca por shoppings. Meu sonho de consumo sao museus, cinemas, livrarias. Em qualquer lugar do mundo.

Francy disse...

Querida amiga,
Fizemos esta viagem a Santiago de Compostela, como já fizemos muitas outras a vários lugares e como gostamos muito de viajar, eu e o marido, vamos e visitamos lugares interessantes, museus, galerias de arte. Vamos a lugares que nos agradam, antes e depois. Não costumamos viajar porque os amigos, ou outras pessoas viajam. Simplesmente vammos e pronto. Não estamos preocupados se alguém vai aprovar ou não até porque não precisamos nem da aprovação e tão pouco do "numerários" dos amigos para as nossas viagens. Excusado comentar sobre os comentários de pessoas que não conhecemos e não estamos interessados nos seus comentários. Eu sou mais eu..rs.
beijinhos...

Sergio disse...

Olá, Liliane!

Falei da morte e da vontade de viver lá no meu post...sinto por sua tia...Não gosto de velorios, enterros..meu pedido é para que não haja nada disso...do IML direto para o cemiterio, sem aborrecer ninguem...e , Santiago de Compostela, ainda faço esse caminho.Tenho um post do ano passado, que vou republicá-lo quando completar um ano, que faa sobre isso...foi em agosto.

Um beijo e boa semana

Júnio disse...

Lembrei de quando os velórios eram nas próprias casas, não é do meu tempo, mas lembrei.
Hoje esse hábito foi embora junto com a vontade de caminhar em lugares com a natureza ao vivo não precisa ser Santigo, mas shoppings faz os olhos de pessoas brilharem o ar condicionado então é uma beleza.
Beijos.

Francy disse...

Querida Liliane,
Eu não costumo dar "asas"a certos comentários. Entretanto, se vc for ao comentário da sua amiguinha "rubo qualquer coisa" vai entender porque eu fiz aquele comentários e não é dirigido a vc...
beijinhos,
Francy

Jôka P. disse...

Gosto de vitrines.

sabios de siao disse...

Liliane,

Você foi uma das minhas leitoras mais participativas, sempre comentando com sinceridade e personalidade.

Seus comentários, de uma forma ou de outra, sempre me inspiraram. Não dá para ser indiferente ao que você escreve...

Faz algum tempo que não a vejo comentando no meu blog, mas não esqueceria de uma leitora como você na hora de escolher a quem eu daria "pessoalmente" esta notícia:
estou encerrando o blog "Sábios de Sião". FIz duas últimas postagens, apenas para encerrar da forma que acho a mais correta, quiçá a mais bonita.

Espero uma última visita sua, e um último comentário, para que fique um registro seu, aguerrida Liliane!
Abraços!

Dalva Helena disse...

Velorios são tristes!Não gosto não, muita gente se reencontra mesmo somente em velorio. Acho falsidade, pq quem gosta aparece sempre ou nao? Qto a peregrinaçao e aidna se baseando em Paulo Coelho, tô fora. Prefiro curtir a cidade, museus, teatros, shoppings so com dindin senão... bjks

Anônimo disse...

Hi! Just want to say what a nice site. Bye, see you soon.
»