Minha lista de blogs

sábado, novembro 22, 2014

Minha mamãe

Fez um ano da morte de minha mãe.
Minhas irmãs, Rosário, Suiane e Aninha, continuam num sofrimento que não tem tamanho, mas estão tocando, suas vidas.
A vida não para. O tempo não para.
Para mim, a morte é o fim.
Se alguém pensa diferente, fique com seus pensamentos e conceitos, bem longe de mim.
E se eu pudesse imaginar minha mãe depois de morta e fechada dentro de um caixão, diria que ela estaria se sentindo muito mal e infeliz.
Portanto, não gosto de lembrar que ela não está aqui.
Empurro essas lembranças ruins.
Eu sou assim. Tudo que me incomoda, empurro para bem longe.
Minha mãe passou a vida toda dizendo:"não me deixem só".
Como imagina-la, bem, agora, sozinha? Nunca.

Nunca esqueço de todas as coisas que ela dizia para os filhos.
Não fui a filha preferida, entre os 9 filhos que teve.
E eu nem lembro se os partos foram vaginais ou se teve alguma cesárea.
Esqueci de perguntar isso a ela.


Mamãe, na calçada da casa dela, olhando a vida passar.
Minha mãe era alegria pura.
Todas as festas temáticas, que fazíamos todo início de janeiro, ela participava, ativamente.
E ajudava na decoração.
Dançava e cantava junto com a gente.
Este janeiro, não houve festa.
Na festa "Brega" com Laurinho.
O bom é que minha "família grande" é unida. Muito unida.

Liliane

20 comentários:

Patricia Merella disse...

Ola Liliane
Como passou rápido,lembro-me quando ela esteve na UTI e voce ia visita-la,a saudade doi eu bem sei!
Ainda tenho a minha mãe nos seus 64 anos cheia de vida e eu desejo tanto abraça-la. Sim,a vida segue,tem que segui pelos que ficaram!
Que seja feliz seu final de semana,Beijinhos

✿ chica disse...

Já um ano! Voou! E as lembranças e saudades ficam! bjs, chica

O meu pensamento viaja disse...

Liliane, querida, pela minha própria experiência, a perda da mãe nunca se supera. O sofrimento e a tristeza vão, com o tempo, diminuindo, mas aquele buraco no peito permanece.
Bom que você tem uma grande família unida. Bom que é uma mulher positiva, bom que não cultiva o sofrimento.
Um beijo grande.

Nal Pontes disse...

Oi Liliane, um ano passa rápido tmb já fez um ano de minha sogra. A morte é um assunto polemico, triste e dolorido pela saudade das pessoas que amamos. Um bom final de semana prá vc. Bjs

Crocheteando...momentos! disse...

Liliane e já se passou um ano!
O tempo ajuda a superar a perda mas a dor continua e vai-se manifestando conforme a personalidade de cada um!
Espero que sorria sempre que dela se lembrar e mesmo que role uma lágrima em sua face...(em português) nós chamamos de SAUDADE!!!
Bj amigo

Elaine disse...

Sinto muito Liliane... a um ano atrás eu ainda não conhecia seu blog. Não consigo me imaginar sem meus pais, eles são tudo pra mim.
Mas a vida segue e devemos lembrar só das coisas boas. bjus

Marly disse...

Lili,

É incrível como nos sentimos ligados àqueles que nos amaram e a quem amamos, né? Outro dia eu soube que escritora Nélida Piñon disse numa entrevista: "trago todos os meus mortos comigo", querendo dizer que mesmo a morte não é capaz de nos separar daqueles com quem nos relacionamos intimamente.

Um beijo

Nina Braz disse...

Oi Liliane,
A minha família é pequena e como eu só tenho um filho, vai facar ainda menor com o tempo.

Que bom que plantou os feijões, tomara que cresçam forte!

Beijos

Ju disse...

Olá Liliane,
Perdi a minha recentemente, em 6 de Setembro. Tento levar a vida lutando para não pensar no assunto. O que me ajuda é o fato de que há muitos anos não convivia com ela, pois saí da minha cidade natal em 1990 e nunca mais voltei a morar lá. E é justamente a convivência que constrói e fortalece laços, tornando muito mais difícil a superação desse tipo de perda. Concordo com a Nina: a dor passa, mas o vazio que fica no coração é infinito. E também acho bom que você tenha essa capacidade de espantar os pensamentos tristes. Precisa ser desse jeito mesmo, senão a gente não consegue tocar a vida e ela não espera, não para, não tem pena de ninguém. Minha família é pequenina e a doença da nossa mãe nos reaproximou e nos uniu mais, mas moramos longe uns dos outros. A saudade da minha mãe é imensa.
Beijinhos
Ju

Jane Quintela de Carvalho disse...

Oi Liliane, eu também não gosto de ficar lembrando da morte... que bom que sua família é unida, assim fica melhor para dividir a dor... beijosss!!!

lenalima disse...

Tudo passa muito rápido, e a sdss aumenta.
Hoje exatamente 6 meses que a minha se foi...nem sei mais o que pensar, só queria ela aqui! bjssssssssssss

Jôka P. disse...

A morte de minha mãe foi ao mesmo tempo uma grande tristeza, e também uma libertação. Sonho com ela, viva, quase todas as noites.
Não sei há quanto tempo morreu. Existem muitos tempos diferentes, e paralelos.

Montana disse...

Liliane, nunca esquecemos a nossa Mãe.Eu a minha umas vezes recordo-a com muita saudade, outras como doces recordações. Umas vezes dói muito, outras é bem mais fácil. Mas ajuda ter uma família grande e unida e ser positiva. Beijinhos.

sandra neiva disse...

Olá Liliane,

a mãe nunca se esquece não é verdade?
Faz muito bem andar para a frente Liliane, e as memórias boas é que ficam.

Beijinhos

Sophie disse...

Meine liebe Freundin,
es stimmt mich traurig, was ich da lesen muss.
Auch ich war nicht der Liebling meiner Mutter.
Eher das Gegenteil :-(
Aber das ist alles verarbeitet, und ich habe keinen Groll mehr.
Jeder kann nur das geben, was DA ist.
Und es war nicht mehr für mich da.
Es ist, wie es ist.
Wir machen alle Fehler, also muss man verzeihen.
Das ist mit das Wichtigste im Leben, dass man sich und anderen verzeihen kann.
Ich wünsche dir eine schöne Adventszeit, liebe Liliane...
Umarmung von Herzen
Sophie

Christiane Garcia disse...

Liliane, como o tempo passa rápido...
O importante é guardar as boas lembranças!
Estou passando para desejar uma ótima semana! Um grande bj

Pedrita disse...

fique bem. beijos, pedrita

Christiane Garcia disse...

Ah, esqueci de contar q estou participando de um concurso literário aqui em Cajamar. Dia 27 sai o resultado. Seria demais ganhar...rsrs...
Esses últimos meses foram corridos, quase não fiz post no blog, mas logo estou terminando um bordado e faço um post. Um grande bj

Lucinha disse...

Liliane,

Um ano de saudade de sua mãe. O tempo passou muito rápido.
Entendo seu sentimento. Eu também prefiro guardar as boas lembranças.
Muito lindo uma família unida.
Beijos

Veronica Kraemer disse...

Lili querida, que saudades de sua mamãe.
Mas ela continua viva para cada um de vocês. E como é bom ter uma família unida!!!
Estas imagens são lindas!
Beijos
Vero