Minha lista de blogs

domingo, março 29, 2009

Gordos

Não gosto de atender pacientes gordos.
Não gosto é pouco. Tem mesmo é horror.
Até hoje na minha vida não encontrei uma razão para se ser gordo ou para não fazer esforço de não ser gordo.
Ninguém dormiu magro e acordou gordo. É um processo lento.
Se vc observar num restaurante ou numa lanchonete quem está comendo o prato maior ou o lanche maior é o gordo.
E, geralmente, chega para consulta dizendo que "não como nada". Pois é. Ainda mentem.
Os tensiômetros convencionais não atacam num braço muito gosto. Ou se ataca, fica estourando, desatacando.
Se usar o tensiômetro digital o aparelho tem dificuldade de atravessar aquela barreira de banha e registrar a PA.
É tanto peito, é tanta banha que as vezes preciso mandar tirar a camisa/blusa para vê se o aparelho consegue registrar.
Examinar o abdome é um terror.
A gordura dificulta delimitar fígado, baço. Dificulta auscultar torax.
Se precisar fazer alguma manobra de palpação, torna-se um pesadelo.

A vida é complicada para os obesos.
Mas acho que eles gostam.
A maioria não faz nada para sair dessa situação.
Eu também não faço nada para gostar de atende-los. Quero não fazer.
Liliane

terça-feira, março 17, 2009

Tenho um monte de ídolos de cinema. Tinha que ter. Adoro cinema.
Rob Lowe, essa lindeza que está aí é um deles.
Nem sei em que filme ele está mais lindo ou com os olhos mais azuis.


Rob Lowe e Gary Sinise fazem aniversario hoje, 17/13.



Bruce Willis e Glen Close fazem aniversario dia 19/03.
Um careca charmoso e uma feia charmosa.



































Liliane


sexta-feira, março 13, 2009

Caminho para Bariloche


Minha digital não foi fiel a beleza dessa estrada.
O caminho que vai de Puerto Varas, no Chile, para Bariloche é muito lindo.
Liliane

terça-feira, março 10, 2009

Enquanto......


Enquanto me recomponho, me reprogramo de um monte de desespero que toma conta de mim, fica a foto da minha linda Julie Christie, pedindo comida e colo.
Liliane

sábado, março 07, 2009

Quero ser excomungada

Faz muitos anos que não tenho religião.
Acho que desde pequena quando frequentei igreja por pura falta de opção de diversão, já sinalizava que religião para mim era desnecessária.
Não preciso dela para ser correta, para não ser honesta, para andar na linha, etc e tal.
Tem gente que precisa.
Morava num subúrbio longe do mundo e éramos muitos irmãos. Ou a gente se organizava para arranjar meios de brincar ou ficava sem brincar. E tinha, na capela, festas, gincanas, brincadeiras de roda, jogos com bolas, passeio de charrete, etc. Optei por brincar.
Mamãe sabia que estávamos próximas de casa e com crianças da nossa idade.
Atendo pessoas que se apoiam na religião, não religião católica, para não serem ou voltarem a ser alcoólatras e tabagistas.
Podem até continuar a serem desonestos, vigaristas, aproveitadores, cheio de preguiça, mas largaram esses 2 vícios.
Para mim tanto faz ser excomungada ou não.
Não me diz nada, não acrescenta nada, não diminui nada.
Continuo a mesma.
Esse homem feio aí da foto, vir cheio de empáfia dizer que excomungou todos envolvidos no aborto legal, é abuso demais.
O problema é de fede menos ou fede mais.
Já identifiquei o fedor.
Liliane